Análise: Hotline Miami – por Thiago Cianci

Confesso que já tinha ouvido falar bem de Hotline Miami quando iniciei o jogo pela primeira vez. Mesmo assim, não acredito que pudesse estar preparado para a experiência oferecida pelos desenvolvedores Jonatan Söderström e Dennis Wedin. A premissa de Hotline é bizarra, mas relativamente simples: um homem é chantageado constantemente por meio de telefonemas que o direcionam a locais específicos com um objetivo, o de vestir uma máscara de borracha e matar todos os indivíduos que se encontram lá.

O gameplay, a princípio, reflete a simplicidade da premissa. O jogador se movimenta com o teclado, pega armas e as arremessa com o botão direito do mouse, enquanto ataca com o esquerdo. Cada capítulo consiste em um edifício repleto de homens armados que conseguem derrotar o protagonista com apenas um golpe, ou tiro. Perder, no entanto, praticamente não afeta o jogador. Você retorna do lado de fora do edifício, pronto para outra tentativa. A repetição é essencial para completar cada fase, pois os inimigos são implacáveis.

Continuar lendo

Anúncios