Indicação: Over the Garden Wall – por Shah Aguiar

Over the Garden Wall é aquele medo encantador de histórias no sofá. Não importa se moramos no Brasil e não precisamos aquecer nossos lares no inverno, assistindo essa mini-série nos sentimos aquecidos por uma lareira, ouvindo um grande conto de fadas sombrio, iluminados por uma aura pueril. Algo que alguém como o criador de “Hora de Aventura” e “As Trapalhadas de Flapjack”, Patrick McHale, consegue transmitir de maneira única e espetacular.

Continuar lendo

Anúncios

Resenha: Turma da Mônica – Laços

Fiquei quase uma hora olhando a tela pensando em como começar essa resenha. É muito difícil explicar ou sintetizar uma obra que te traz sentimentos tão íntimos e remotos, que você nem se lembrava mais. Turma da Mônica – Laços te arrebata, com a nostalgia doce da infância brasileira e dos filmes de aventura da Sessão da Tarde.

Continuar lendo

Review: A Pessoa Amada (Watashi no Suki na Hito) – por Shah Aguiar

Ano passado, a NewPop lançou 4 títulos da CLAMP. Entre eles estava Watashi no Suki na Hito, uma coletânea de 12 contos singelos sobre o amor e como lidamos com ele em nossas vidas. Cada história é contada por uma mulher diferente, da própria CLAMP ou que esteve em contato com Nanase Ohkawa de alguma forma. Pois bem, em 2008 eu conheci o volume único de A Pessoa Amada (no Brasil) por acaso, quando frequentava um saudoso fórum de cultura japonesa e afins. Foi também por acaso que, esse ano, passeando pelo estande da Comix na Bienal do Livro, descobri que havia sido lançado aqui.

Os contos são muito simples e cotidianos. Cada situação apresentada é facilmente adaptável à nossa própria realidade e, por mais que o universo do mangá represente perspectivas femininas, não duvido que um homem consiga se enxergar em algumas das histórias. Todos nós passamos por momentos de insegurança, saudade e crises na diferença de idade, além de outros, e a abordagem das personagens não necessariamente diferencia o gênero em questão. Pelo contrário, em mais de uma das histórias é apresentada também a visão e reação do homem com o qual a moça se relaciona, como no caso de “Distância” e “Quero de te ver”, que mostra o quanto o namorado também gostaria de estar perto dela, e de “Diferente”, que mostra que o rapaz também estava arrependido de uma briga e tinha sua própria maneira de pedir desculpas.

Continuar lendo